Ditados

Materiais e cursos

É melhor prevenir do que remediar

Autores: Ignacio Amigo De La Huerga

Editores Chefes: Carmen Fernandez

Editores Associados: Guilherme Marson

O uso de protetor solar é fundamental para retardar os danos associados à exposição à radiação solar.

Por que este ditado faz sentido?

Sem dúvida uma das melhores formas de solucionar um problema é tentar evitá-lo. Na saúde, a prevenção é fundamental.

As radiações solares são imprescindíveis para o nosso corpo. A vitamina D, por exemplo, é produzida pelas células da nossa pele em resposta a elas. Mas a luz solar em excesso pode ser prejudicial para a saúde, já que pode provocar queimaduras e o envelhecimento prematuro da pele, além de favorecer o desenvolvimento de câncer. Para prevenir os efeitos adversos da luz solar, evitar longas exposições e proteger a pele com protetores solares são as melhores opções.

Sob o sol que nos ilumina

Os raios solares são em realidade um conjunto de ondas de diversos tipos. Algumas dessas ondas são detectadas pelos nossos olhos e são as responsáveis pela visão e a percepção das cores. Existem, por exemplo, ondas vermelhas, amarelas ou azuis, cada uma delas com uma energia associada. Assim, as ondas vermelhas são menos energéticas que as amarelas, que por sua vez são menos energéticas que as azuis. Os nossos olhos são capazes de detectar ondas dentro de uma faixa de energia, mas a luz solar possui também ondas menos energéticas que as vermelhas (as ondas infravermelhas) e mais energéticas que as azuis (as ondas ultravioletas) que são invisíveis para nós.

Em particular, é bem conhecido que as ondas ultravioletas têm efeitos perniciosos para o nosso organismo. A principal defesa natural do nosso corpo diante das radiações ultravioletas é a melanina, o pigmento responsável pelo bronzeado e a cor escura da pele. Quando passamos muito tempo sob os raios solares, a formação de melanina é estimulada, o que aumenta a proteção da pele. Mas a melanina por si só não é capaz de bloquear todas as radiações ultravioletas e por isso sempre é recomendável usar protetores solares com filtros que as bloqueiem especificamente.

O uso de protetor solar é fundamental para retardar os danos associados à exposição à radiação solar.

Luz, química, reação!

A incidência dos raios do sol nas células da pele gera espécias reativas de oxigênio. Estes compostos, que são fundamentais para o funcionamento normal do organismo, são tóxicos quando produzidos em níveis altos, já que têm uma alta capacidade para modificar a estrutura de outras moléculas importantes para as nossas células.

Em particular, a radiação ultravioleta é especialmente perigosa já que inibe as defesas antioxidantes que protegem as nossas células das espécies reativas de oxigênio, além de alterar a estrutura do DNA, o que pode resultar no desenvolvimento de câncer.

Como os cientistas sabem disto?

A maior parte dos protetores solares são desenvolvidos para inibir a radiação ultravioleta, que é aquela com uma maior capacidade de dano. Mas uma pesquisa do grupo Redoxoma mostrou recentemente que as ondas da faixa visível da luz solar também podem ter efeitos prejudiciais para a nossa saúde.

O estudo foi feito no laboratório usando células em cultura. Em primeiro lugar foi confirmado que as células com uma alta quantidade de melanina são mais resistentes à radiação ultravioleta, o que está de acordo com o papel protetor da melanina frente a esse tipo de radiação. Porém, quando as células foram irradiadas com luz visível, a situação se inverteu e as células com mais melanina foram mais susceptíveis ao dano. A explicação proposta pelos pesquisadores é que a melanina, que é a principal defesa da pele frente à radiação ultravioleta, muda a sua estrutura quando é exposta à luz visível e produz espécies reativas de oxigênio que danificam as células.

A maioria dos protetores solares contém filtros para inibir a radiação ultravioleta, mas não a visível. Portanto, até que novos protetores sejam desenvolvidos, o melhor para evitar problemas é evitar exposições prolongadas ao sol. Como diz o ditado popular: “É melhor prevenir do que remediar”!

Saiba mais

Chiarelli-Neto O, Ferreira AS, Martins WK, Pavani C, Severino D, Faião-Flores F, Maria-Engler SS, Aliprandini E, Martinez GR, Di Mascio P, Medeiros MH, Baptista MS. Melanin photosensitization and the effect of visible light on epithelial cells. PLoS One. 2014 Nov 18;9(11):e113266. doi: 10.1371/journal.pone.0113266


Fale Conosco




Todos os campos são obrigatórios.


Enviando...

Fechar formulário